El contenido de esta página requiere una versión más reciente de Adobe Flash Player.

Obtener Adobe Flash Player


   

 

Quem somos
Nossos Fundadores
Expansao e Atualidade
Difusão
Onde Estamos

 

 
Nossos Fundadores
  LUIS PEDRO MONTES SJ  

"Jesus me atraiu para junto de si, como amigo; cuidou de mim como Pai;
mostrou-me seus mistérios de Amor, somente experimentáveis, porém incomunicáveis,
e me fez ver, no profundo de minha alma, quem era Ele, qual seu nome,
de que modo eram as linhas de seu rosto. Conduziu-me por gozos imensos,
que somente um Deus pode comunicar...fez-me descer aos profundos sofrimentos internos y externos,
que um homem jamais desejaria padecer e me disse no interior de minha pobre alma:
'Esse sou Eu, queres me seguir?'".

Padre Luis Pedro Montes sj

As raízes de nosso Carisma devem encontar-se no Espírito Santo e na Virgem Maria, fontes de todos os carismas na Igreja. El Pe. Montes sj, nascido em Montevidéu, Uruguai, no dia 11 de junho de 1927, foi o instrumento escolhido por Deus para comunicar este Dom aos homens. 
Já desde criança, Pe. Montes já tinha una particular amizade com Deus. Sendo um jovem de 17 anos, estudante jesuíta (em Córdoba, Argentina), teve experiências espirituais muito profundas, vivências tipicamente místicas e contemplativas em sua oração; discernidas e amadurecidas na Direção Espiritual com o Pe. Mauricio Jiménez sj (de quem está introduzida atualmente, a causa de beatificação). Nos anos posteriores, por diversos motivos e circunstâncias, Pe. Montes viu-se privado de sua vida mística. Este corte em sua vida espiritual ocasionou nele um profundo sofrimento: estabelecia-se assim, em seu coração, a Cruz de Jesus Cristo. Este fato nuclear para sua vida espiritual e sua dedicação desde cedo à pregação dos Exercícios Espirituais Inacianos, foram as circunstâncias concretas pelas quais se foi forjando o Carisma e assim, especificando-se o que mais tarde seria nosso apostolado de Direção Espiritual.

Logo após sua ordenação sacerdotal (1958), P. Montes é nomeado Diretor da Casa de Exercícios Espirituais de Montevidéu, onde pregou durante muitos anos Exercícios Espirituais para diversos grupos de homens e mulheres, leigos e religiosos. Durante estes anos de experiência na pregação de Exercícios, Pe. Montes comprova como o crescimento que experimentava a pessoa, em quanto conhecimento e amadurecimento espiritual, durante seu retiro anual, ia-se diluindo e se perdendo com o passar do tempo. Devido a isto, constata a necessidade de continuar acompanhando a estas almas e então, começa a encontrar-se, depois da semana de exercícios, com alguns de seus exercitantes ao longo do ano, em seguida da semana de Exercícios.

Para aperfeiçoar e melhorar sua forma de trabalho com as almas, ele continua estudando, relacionando-se e pesquisando distintas disciplinas. Assim, através de uma pessoa que era atendida por ele e que também, era atendida por um psicoterapeuta, acaba conhecendo um grupo de terapeutas existencialistas (anos 1968-70). Isto permite ao Pe. Montes desenvolver a relação entre o método dos Exercícios inacianos –os quais se baseiam na imagem e no símbolo-, com os avanços e estudos da ciência moderna, representada neste caso por Robert Desoille, Carl Gustav Jung e outros autores.
Assim, embasado a todas estas experiências, vai elaborando una determinada forma de trabalho, um método específico, ao qual posteriormente denominou “Processo Dialético-Simbólico de Direção Espiritual”.

Junto ao Pe. Montes começou a formar-se um grupo de pessoas, a principio, formado somente por sacerdotes e ao qual depois se integraram também leigos, que continuaram pesquisando, estudando e aperfeiçoando o método de Direção Espiritual (anos 1970-75), e que, além disso, foram definindo sua consagração a Deus nesta forma específica de apostolado, constituindo assim os primeiros passos em matéria institucional.

Desta forma –como P. Montes muitas vezes manifestara-, se necessitava de uma pessoa que sintonizara com ele; que compreendesse a exigência espiritual do carisma, e que tivera essa mesma intuição e discernimento na Direção Espiritual e na vida de oração.
ERNESTO POPELKA
Nesse contexto, e em resposta às preocupações do Pe. Montes surge a pessoa de Ernesto Popelka (1978) –em outros tempos conhecido futebolista uruguaio- quem em seu amor radical a Deus e a seu pai espiritual, P. Montes sintoniza em tudo com ele, graças ao qual, se formaliza definitivamente a Instituição Dalmanutá, no dia 15 de agosto de 1980.

Pe. Luis P. Montes sj. morre no dia 31 de dezembro de 1980, em Montevidéu, Uruguai.
A partir desse momento, Ernesto Popelka assume a direção da Instituição e a conduz à consolidação, crescimento e expansão no Uruguai e em outros países de América. Atualmente (2019) e desde o ano 2001, reside na fundação de Tijuana, México, desenvolvendo aí, seu trabalho como Diretor espiritual e continua inspirando com sua referência e testemunho espiritual os caminhos de evolução da Instituição.

 
Inicio Quem somosNossos fundadoresExpansão e atualidadeDifusãoOnde estamos